Contato Comercial (55) 3251-1816
www.nova99.com.br
Peça sua música (55) 3251-1792
Whatsapp (55) 9 9666 0113



A dentista que havia desaparecido em Santa Maria foi encontrada morta em área de matagal próximo a uma rodovia


A dentista que havia desaparecido em Santa Maria foi encontrada morta em área de matagal próximo a uma rodovia




Desaparecida havia quatro dias, a dentista Bárbara Padilha foi encontrada morta, nesta quarta-feira (14), em uma área de mata próximo à rodovia federal BR-158, em Santa Maria (Região Central). O corpo foi localizado, com o auxílio de cães farejadores, durante buscas na área de onde haviam sido rastreados sinais de seu telefone celular. A Polícia Civil trabalha com a hipótese de suicídio.

O IGP (Instituto-Geral de Perícias) não soube detalhar a causa ou o momento do óbito, que provavelmente ocorreu no local onde estava o cadáver, sem ferimentos aparentes ou indícios de roubo, por exemplo. De acordo com informações preliminares, corroboradas por uma das fotos divulgadas pela corporação, o corpo estava vestido e e parcialmente de bruços.

A odontóloga, de 32 anos, vivia e trabalhava em Tuparicetã, a cerca de 100 quilômetros, e teria chegado à região na noite de sábado (10) a bordo de um táxi ou veículo de aplicativo de transporte particular.

Imagens registradas pelas câmeras de segurança da loja de conveniência de um posto de combustíveis mostraram a presença de Bárbara no estabelecimento, durante cerca de 20 minutos na noite de sábado. A mulher aparentava estar tranquila.

Carregando apenas dinheiro e o celular (documentos e cartões foram deixados em casa), ela comprou água mineral, um chocolate, deixou o local pela porta da frente e nunca mais foi vista com vida. Ela teria se deslocado a pé por quase 1 quilômetro até o local onde depois seria encontrada morta, 300 metros mata adentro.

As tentativas de familiares e investigadores em contatá-la desde então não surtiram efeito, já que as ligações caíam automaticamente na caixa de mensagens. Testemunhas ouvidas até agora, incluindo o marido e a mãe da dentista, manifestaram estranhamento com o fato de Bárbara ter deixado Tupanciretã de forma voluntária, sem dívidas, desavenças ou outros motivos para desaparecer.

Possível depressão

O marido, que é advogado e disse ter recebido a visita da mulher em seu escritório na tarde de sábado, horas antes do sumiço, chegou a descartar inicialmente que ela sofresse de depressão. Admitiu, porém, ter cogitado a possibilidade sugerir o encaminhamento de Bárbara a um psicólogo, após perceber um comportamento diferente do habitual, com momentos de silêncio prolongado e certa desmotivação.

Uma descoberta de um fato recente, no entanto, “disparou o alerta” dos investigadores para uma possível fuga premeditada pela mulher: na sexta-feira (9), véspera do dia em que desapareceu, ela chegou a acionar um serviço de táxi-executivo para fazer a viagem de Tupanciretã até Santa Maria.

Mas o serviço acabou recusado pelo motorista, já que a mulher se recusou a fornecer o seu nome e outras informações sobre o trajeto, levando o taxista a temer algum tipo de golpe ou mesmo assalto. Reforçando essa linha investigativa, chegou aos policiais um relato de que a dentista já havia orçado valores e condições, aproximadamente duas semanas antes, para um serviço nos mesmos moldes.

(Marcello Campos – O Sul)

FONTE: https://www.osul.com.br/a-dentista-que-havia-desaparecido-em-santa-maria-foi-encontrada-morta-em-area-de-matagal-proximo-a-uma-rodovia/

Publicado em: 15/10/20