Janeiro roxo faz um alerta para a prevenção e tratamento da hanseníase

Para as organizações de saúde, o mês é da campanha “Janeiro Roxo”, que alerta para o tratamento da hanseníase. Que é uma doença infecciosa e contagiosa que causa machas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele, que também pode ter alteração da sensibilidade e o paciente não sente (ou tem a sensibilidade diminuida(, de calor, frio, dor e mesmo o toque.

É comum ter a sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nos pés ou mãos. Em algumas áreas pode haver diminuição de suor e pelos. O paciente também pode ter dificuldades para segurar objetos, pode queimar-se e não sentir, por exemplo, quando perde os chinelos. A doença pode provocar o surgimento de caroços e placas em qualquer local do corpo e diminuição da força muscular.

Casos e tratamento no município

Em Santiago, a Secretaria de Saúde teve dois casos notificados em 2017 e está acompanhando o tratamento de três pessoas. Por ser uma doença crônica, o tratamento dura em média dois anos. O ambulatório de hanseníase funciona na Secretaria de Saúde com atendimento médico individual uma vez aos mês, nos sábados. Também são feitas visitas domicialiares, consultas de enfermagem sempre. Durante todo o mês o paciente tem acesso livre ao serviço gratuitamente. Por meio da 4ª Coordenadoria de Saúde o Estado fornece os medicamentos.

De onde vem a doença?

A Organização Mundial da Saúde considera a hanseníase controlada quando o índice de prevalência da doença é de 1 caso para cada 10 mil habitantes. No Brasil, esse índice ainda é de 1,27. Hanseníase não é hereditária. É causada pelo bacilo mycobacterium leprae e sua transmissão acontece de pessoas doenças sem tratamento para pessoas saudáveis, pelas vias respiratórias (tosse, espirro, fala).

Como é o diagnóstico?

Precisa ser feito o quanto antes. O médico analise lesões na pele com manchas e alterações neurológicas específicas (dormências e formigamentos).

Como são os exames?

Em muitos casos, os médicos dos serviços públicos de saúde especializados em hanseníase podem diagnosticar a doença apenas no exame clínico. Pacientes de hanseníase fazem exame dermatológico e exame neurológico.

Hanseníase tem cura?

Sim, a hanseníase tem cura. Quanto mais cedo o tratamento, menores são as agressões aos nervos e é possível evitar complicações. O paciente que inicia o tratamento não transmite a doença a familiares, amigos, colegas de trabalho ou escola.

Como é o tratamento?

Bem simples. O paciente recebe gratuitamente os medicamentos para ingestão oral- os medicamentos destroem os bacilos. O tratamento leva de 6 meses a 1 ano. Se seguir o tratamento cuidadosamente, o paciente recebe alta por cura. Importante: todas as pessoas que convivem ou conviveram com pacientes de hanseníase devem ser examinadas.

 

Este conteúdo é originário total de:http://www.santiago.rs.gov.br/noticia/4221/15-01-2018/janeiro-roxo-faz-um-alerta-para-a-prevencao-e-tratamento-da-hanseniase

Gostou? Deixe seu comentário!