“Galácticos” salvam o planeta! Real Madrid vence Grêmio e é campeão mundial pela 6ª vez

O JOGO

Teve luta, batalha, personalidade forte com DNA tricolor. Mas não foi o suficiente. Na tarde deste sábado (noite em Abu Dhabi), em 16 de dezembro de 2017, o Grêmio foi valente, mas acabou derrotado por 1 a 0 para o Real Madrid, com gol de falta de Cristiano Ronaldo, no Zayed Sports City.

Da sua maneira, o Grêmio acabou com o planeta, sim. Mesmo sem o bi mundial, o Tricolor fez bonito, desfilou o melhor futebol do Brasil para o mundo inteiro. Perdeu para o Real Madrid, mas deu uma lição de boa administração e cultura tática, orquestrada por um gestor de grupo sem igual chamado Renato Portaluppi.

 
  • DESTAQUE PRIMEIRO TEMPO

    Numa estratégia semelhante à que Renato fez contra o Lanús, na final da Libertadores, o Grêmio mordeu a saída de bola adversária no início do jogo. Logo aos dois minutos, Geromel aplicou uma “chegadinha” na canela de Cristiano Ronaldo, na qual o português reclamou bastante. Com o passar dos minutos, a blitz gaúcha reduziu, ao passo que os merengues assumiram a posse de bola. Embora tamanha qualidade técnica, faltava repertório ao Real e sobraram bolas alçadas para a área.

    Em sequência de escanteios, Sergio Ramos superou a defesa gremista por duas vezes, mas faltou finalização do lance. Aos 23, Modric bateu à esquerda de Grohe. A única chance dos brasileiros veio com Edílson, em cobrança de falta, bem como Cristiano Ronaldo assustou da mesma maneira. Aos 37, o melhor jogador do mundo abusou do preciosismo dentro da área e foi parado por um carrinho soberbo de Kannemann. 

     
  • DESTAQUE SEGUNDO TEMPO

    Assim como encerrou na primeira etapa, o Real voltou melhor para o segundo tempo. Encontrou um Grêmio recuado e logo abriu o placar aos sete minutos. Sempre tão iluminado, num ano perfeito, Marcelo Grohe não teve culpa no gol sofrido. Em cobrança de falta frontal, Cristiano Ronaldo nem pegou tão bem na batida. Só que a bola transpôs a barreira, entre Luan e Barrios, e morreu no canto esquerdo.

    O gol assustou o time gaúcho e o Real passou a encontrar espaços, antes inimagináveis. Aos 12, Benzema escorou de cabeça para Cristiano Ronaldo, que bateu no canto de Grohe. Mas o árbitro Cesar Ramos anulou por impedimento do francês, por milímetros. Pouco depois, o croata Modric caprichou no chute de fora da área. E Grohe se espichou todo para evitar o segundo gol. A bola rebateu na trave. Grohe ainda fez duas defesas espetaculares, em chutes de CR7 e Bale, que havia entrado na vaga de Benzema.Os merengues gastavam o tempo, giravam,valorizavam a bola.E foi assim até o apito final, no qual conquistou justamente o Mundial de Clubes.

     
  • DESTAQUEA SEXTA VEZ

    Conforme estampou o jornal Marca, o Real Madrid superou o Brasil em títulos mundiais com a conquista. O time espanhol chegou à sexta taça (1960, 1998, 2002, 2014 e 2016), segunda seguida, e passou o penta da seleção brasileira. Claro que trata-se apenas de uma referência. Há uma grande diferença entre clubes e seleções.

  • DESTAQUE SEMPRE ELE

    Na disputa entre Cristiano Ronaldo e Renato, o português mostrou por que é um predestinado a quase tudo quando está em campo. Ele tentou furar Marcelo Grohe no primeiro tempo, mas parou em cobrança de falta por cima, em chute para fora e também foi bloqueado por Kannemann. Mas ele definiu o jogo aos sete minutos da etapa final. Em uma cobrança de falta que deveria até bater na barreira, mas Barrios e Luan abriram, matou o goleiro gremista. Saiu para a comemoração e deu o sexto título mundial ao Real. Foi eleito o melhor da final. E ainda igualou ninguém menos que Pelé, ao chegar ao sétimo gol em Mundiais.

  • DESTAQUEÚNICA CHANCE

    A diferença de nível entre o campeão da Europa e o campeão da América foi gritante ao longo dos 90 minutos. Enquanto o Real Madrid tocava a bola e controlava o jogo à sua maneira, o Grêmio corria de um lado para outro na tentativa de parar Modric, Kroos, Isco e Cristiano Ronaldo. Exemplo disso é a única chance clara de gol brasileiro, aos 27 do primeiro tempo, em cobrança de falta de muito longe de Edílson.

  • DESTAQUEO NOME DO MUNDIAL

    Ninguém jogou mais no Mundial de Clubes do que Luka Modric. O meio-campista croata deu aula de futebol na final, seja roubando bolas a todo momento, seja construindo chances de gol e finalizando. O camisa 10 do Real faz jus ao número que leva às costas e acabou agraciado com o prêmio de melhor jogador da competição.

  • DESTAQUE COM LOUVOR

    O zagueiro Pedro Geromel foi quem chamou a atenção no time do Grêmio. Em um cenário bem adverso, visto a qualidade do ataque adversário, o capitão gremista manteve a rotina de botes certos e antecipações. Teve uma atuação monstruosa e recebeu nota 9 peka atuação. Conduziu a equipe ao palco da premiação para receber a salgada medalha de prata. A decepção ficou por conta da decepção Luan. Veja a avaliação da equipe aqui

  • DESTAQUE NÃO FOI EM VÃO

    Cerca de 7 mil gremistas, conforme a direção do clube, estiveram em Abu Dhabi para a final que poderia resultar no bi mundial. Houve muita festa em azul, preto e branco no Estádio Zayed Sports City. Em muitos momentos, era possível ouvir somente os brasileiros gritando e pulando nas arquibancadas. Não deu. Mas ficou a sensação de dever cumprido.

 

Fotos e link total de:http://globoesporte.globo.com/rs/jogo/16-12-2017/realmadrid-gremio/

Gostou? Deixe seu comentário!