Copa São Paulo 2018: os favoritos e a situação de cada time no torneio

São Paulo, campeão da Copa RS, chega como um dos principais candidatos ao título, ao lado de Palmeiras, Cruzeiro, Botafogo, Bahia e Internacional

Futebol é uma caixinha de surpresas, já diz o ditado. Mas a Copa São Paulo não. A quantidade de zebras no torneio não cabe em uma só caixinha. Talvez em um container. Um dia de chuva, um campo ruim, uma bola que não entra, e pronto. Davi ganha de Golias com frequência na maior competição de base do mundo. É difícil, portanto, fazer alguma previsão exata sobre os favoritos da Copinha, cuja edição de 2018 começa nesta terça-feira (veja a tabela completa). O blog, por exemplo, sempre erra. Mas é persistente, e continuará tentando. Seguem, entre os grandes, os favoritos e os que correm por fora.

FAVORITOS

São Paulo

O tricolor é tricampeão da Copa RS, mas não levanta a Copinha desde 2010, quando tinha Lucas e Casemiro. O técnico André Jardine tem à sua disposição o melhor elenco sub-20 do Brasil, com alguns jogadores que já foram campeões até da Libertadores Sub-20 e outros nomes talentosos que subiram do sub-17. É o time a ficar de olho com nomes como os atacantes Antony e Jonas Toró, o meio-campista Liziero, o volante Luan e o zagueiro Walce, entre outros.

Palmeiras

Vice-campeão da Copa RS, o Palmeiras é o atual campeão paulista sub-20 e aumentou muito o investimento na base nos últimos anos. Nunca venceu a Copinha, o que aumenta a pressão interna sobre um título inédito, e tem capacidade de sobra com o elenco atual para mudar essa história. Sobra potencial em nomes como os atacantes Fernando e Léo Passos, o zagueiro Vitão e os meias Alan e José Aldo.

Cruzeiro

O atual campeão brasileiro sub-20 jamais pode ser subestimado. É uma equipe com base consolidada, que sofreu poucas perdas na defesa (embora Thonny Anderson, Nickson e Jonata tenham estourado a idade) e tem um belo contragolpe. Não enche os olhos, mas é um time extremamente concentrado e competitivo. E tem no lateral-direito Vitinho (que pode jogar como atacante também) um de seus destaques individuais, ao lado do goleiro Brazão, de apenas 17 anos, e do volante Vander.

Botafogo

Campeão brasileiro sub-20 em 2016, o Botafogo tem um time muito bem treinado e organizado por Eduardo Barroca. Joga com posse de bola, criando jogadas a partir do ótimo volante Wenderson, mas pode esbarrar na falta de um centroavante com experiência, pois Igor Cássio, o titular, rompeu o ligamento cruzado do joelho em 2017, e Ezequiel, que foi improvisado no setor (era ponta de origem), deu tão certo que foi parar nos profissionais. Quem pode surpreender é o lateral-esquerdo Jonathan, contratado por empréstimo junto ao Nova Iguaçu.

Bahia

É uma geração forte, trabalhada há três anos para a Copinha e com alguns garotos remanescentes do vice-campeonato da Copa do Brasil Sub-20 em 1997. Não contará com o meia Dimitri, machucado, mas tem em Felipinho, da mesma posição, uma esperança, além de Geovane Itinga, artilheiro da Copinha em 2016 e dos ótimos goleiros Dejair e Cassiano. A novidade fica por conta do lateral-direito Alessandro, contratado junto ao Ceará. Será um rival forte para todos.

Corinthians

Atual campeão e finalista das últimas quatro edições do torneio, o Corinthians jamais pode ser subestimado. Mas chega ao torneio aparentemente sem a força de outros anos. Destaques em 2017, Mantuan e Carlinhos estouraram a idade, assim como o lateral-esquerdo Guilherme Romão. Pedrinho subiu aos profissionais, e no banco o técnico não é mais Osmar Loss, e sim Coelho, ex-lateral-direito do próprio Corinthians. O Timão contratou vários jogadores, entre eles os centroavantes João Pedro, ex-Atlético-GO (de onde veio o volante Guilherme Borges também), e Nathan, ex-Nova Iguaçu, mesmo time de origem do meia Ramon. Para a ponta, chegou Paulo Bessa, do Paraná, mas Rafael Bilu, que está no clube há tempos, tem potencial para surpreender, assim como o zagueiro Carlos. Fabrício Oya, campeão no ano passado, é a referência no meio-campo.

Internacional

Semifinalista da Copa RS Sub-20 em 2017, o Internacional vai à Copinha com a ótima geração 99 do clube, que começa a dar as caras. Nomes como o atacante Richard e o zagueiro Bruno Fuchs já são titulares da equipe. Outros, como o meia Da Silva, são muito talentosos e podem brilhar junto com uma base sólida no último ano de juniores. Entre os mais velhos, o time tem o ponta Neto, que veio do São Paulo, como um dos destaques.

CORREM POR FORA

Atlético-MG

Atual campeão da Copa do Brasil Sub-20, o Atlético-MG perdeu quase o time inteiro para a Copinha. A defesa inteira estourou a idade, assim como o volante Cícero e o centroavante Flávio, que nem está mais no clube. Os três meias, Marco Túlio, Daniel Penha e Marquinhos, também não irão. O primeiro se apresenta aos profissionais e os outros dois estão machucados. Sobra apenas o volante Renan entre os titulares, que têm como outros destaques o zagueiro Matheus Stockl e o atacante Wellington. O técnico Ricardo Resende é o único do país a ter no currículo os títulos das Copas do Brasil Sub-17 e Sub-20.

Flamengo

Vice-campeão da Copa do Brasil Sub-20 em 2017, o Flamengo perdeu alguns jogadores e vem com o elenco um pouco reformulado. O centroavante, Lincoln, o zagueiro Thuler e o volante Jean Lucas estão já nos profissionais, e Vinícius Júnior nem se fala. Subiram garotos dos juvenis como o centroavante Victor Gabriel e o lateral-esquerdo Ramon, de apenas 16 anos, que foi bem na Copa RS. O goleiro Hugo Souza, o Neneca, é um dos principais nomes da equipe e visto como uma potencial escolha para a seleção sub-20 em 2019. O time comandado pelo técnico Maurício Souza tem qualidade, mas certamente sentiu as perdas citadas acima. O maior desafio é dar dinamismo ao meio-campo formado pelos ótimos, mas não muito rápidos Hugo Moura e Vinícius Souza, e pelo pouco dinâmico Pepê. Yuri, de 17 anos, tem potencial para ser uma boa alternativa no torneio.

Vasco

Campeão carioca sub-20 em 2017, o Vasco perdeu vários jogadores para os profissionais, como os meias Mateus Vital e Evander e o atacante Paulinho. O volante Bruno Cosendey e o zagueiro Ricardo estouraram a idade e a participação do também volante Andrey é uma incógnita, assim como as do lateral-esquerdo Alan e do atacante Paulo Vitor. A aposta do técnico Marcus Alexandre Cravo é em garotos como o meia Dudu e o atacante Robinho, que foram titulares no ano passado, assim como o bom lateral-direito Rafael França e o centroavante Hugo Borges, o homem-gol do time, que vai para a sua terceira Copinha.

Santos

O Peixe foi eliminado na primeira fase do Paulista Sub-20, e com a eleição, fará mudanças na base. Internamente, a aposta é na geração 2001, que queimou etapas com Rodrygo, Yuri Alberto, Victor Yan e Lucas Lourenço e já foi aos profissionais, numa queima de etapas de três anos. O time que vai à Copinha conta com jogadores que foram destaques em outros anos, como o volante Guilherme Nunes, o meia Gabriel Calabrés e o atacante André Pomílio.

Grêmio

O Grêmio, que será comandado na Copinha pelo técnico Luis Gabardo, não contará com jogadores como os bons meias Patrick e Jean Pyerre, já nos profissionais, mas terá a ascensão da geração 2000, badalada dentro do clube. Um dos destaques individual do time é o volante Victor Bobsin, que disputou o Mundial Sub-17 pela seleção brasileira em 2017. Outro é o meia canhoto Tetê, canhoto que fez um ótimo ano, assim como o atacante Léo Chu. O time será desfalcado por nomes como o lateral-esquerdo Guilherme Guedes

Ponte Preta

Vice-campeã Paulista Sub-20, a Ponte Preta chega à Copinha com alguns desfalques. Os principais são o lateral-direito Emerson e o atacante Yuri, ambos integrados aos profissionais. O centroavante John Kleber, artilheiro do time no Paulista Sub-17 (a Macaca foi campeã), rompeu o ligamento cruzado do joelho e está fora. Mas outros bons valores da equipe subiram, como o volante João Victor Xavier e o atacante Walisson. O técnico Leandro Zago terá também à disposição destaques deste ano como o meia-atacante Thiago.

Fluminense

O Fluminense teve um ano conturbado no sub-20, e só cresceu no fim do ano, sob o comando do técnico Léo Percovich. Após toda a tragédia vivida por ele (um acidente de carro que tirou a vida de duas de suas filhas), Marcelo Veiga, vice-campeão da Copinha de 2012 pelo clube e atual coordenador técnico, comandará o time. O desempenho, diante desse contexto, é obviamente secundário, mas é bom ficar de olho em nomes como o volante Caio e o atacante Evanilson. O zagueiro Ibañez, tratado como joia dentro do clube, está no radar do técnico Abel Braga.

Avaí

Irá com um time muito cascudo, com base semifinalista da Copa do Brasil Sub-20 treinado por Fabrício Bento. A maioria de jogadores é do último ano de juniores, já experimentada, e isso pode fazer a diferença, assim como a boa experiência na Copinha passada. O volante Wesley, o goleiro Leonardo e o lateral-direito Guga estão entre os principais nomes de um time que tem potencial para ir longe no torneio.

Coritiba

Boa parte do time vice-campeão brasileiro sub-20 estourou a idade, então a equipe que vai à Copinha não tem muita rodagem. O técnico também mudou. Sandro Former assume os profissionais e dá lugar a Mozart, ex-jogador do próprio clube. Por tudo isso, é possível supor que o Coxa vai perder um pouco da força, o que é natural. Mas pode ser que o time se acerte em campo e surpreenda. A conferir.

Atlético-PR

O Furacão vai à Copinha com um time sub-19 e tem bons jogadores, como o volante Marcos Antônio e o meia Julian. Mas pode sofrer na parte física por ter um ano a menos de bagagem do que a maioria dos times. No banco, estará o ex-zagueiro Marcão, que assume a vaga de Tiago Nunes, remanejado para o time sub-23 que disputará o Estadual com os remanescentes da boa campanha da equipe no Brasileiro Sub-20 (chegou às semifinais e mostrou nomes de qualidade, como o lateral-esquerdo Renan Lodi e o zagueiro Weverton).

Chapecoense

A Chape vai à Copinha comandada pelo técnico Rodrigo Casarin e credenciada pelo bom desempenho nas competições nacionais em 2017. Na Copinha, chegou às quartas de final, assim como na Copa do Brasil Sub-20. No Brasileiro Sub-20, foi à segunda fase. O jogador com mais potencial na base do clube é o atacante Bruno, que subiu direto aos profissionais. Entre os que vão á Copinha, destaque para o goleiro Tiepo e para o atacante Silvano.

Sport

Com a base reestruturada como há tempos não se via, o Sport chega à Copinha com boa parte da base vice-campeã da Copa do Brasil Sub-17 em 2016. As exceções são o atacante Juninho, nos profissionais, e o meia Pablo Pardal, que esteve emprestado ao Cruzeiro, mas voltou. Entre os que vão, destaque para o lateral-direito Elias, o lateral-esquerdo Caio, o meia Brendo, o meia-atacante Mikael e o atacante Alison, autor de um belíssimo gol contra o Cruzeiro na Copinha em 2016. No banco, estará o técnico Júnior Câmara.

Vitória

O Vitória já teve a melhor base do Nordeste e uma das melhores do país. Mas hoje, sofre e vê um número cada vez mais reduzido de jogadores criados no clube tendo chances nos profissionais. Com a eleição recente no clube, a expectativa é que isso mude, mas para a Copinha é muito cedo. O técnico João Burse contará com bons jogadores, como os atacantes David e Luan, e o “experiente” centroavante Eron, campeão da Copa do Brasil Sub-17 em 2015 com o Rubro-Negro baiano.







 

Fotos e link total de:https://globoesporte.globo.com/blogs/na-base-da-bola/post/2018/01/02/copa-sao-paulo-2018-os-favoritos-e-a-situacao-de-cada-time-no-torneio.ghtml

Gostou? Deixe seu comentário!

Olá, Gostou? Então compartilhe, divulgue nosso trabalho! A equipe Nova99,3 agradeçe .